Revoluções tecnológicas causadas no mundo do trabalho

A prevenção dos problemas relacionados à segurança e saúde do trabalhador deve ser vista como um processo complementar entre o conhecimento técnico e a intervenção social. Uma ação preventiva orientada para as causas dos problemas não pode ser realizada unicamente por especialistas, exige também estratégias com participação dos trabalhadores, que precisam estar conscientes de seu papel nessa relação.

Apoiados nessa afirmação, o Projeto de cursos de Segurança e Saúde dos Trabalhadores, optamos por trabalhar temas que ajuda a preparar os trabalhadores para uma atuação consciente desse novo papel.

No passado, uma administração tecnicista e paternalista assumia de forma equivocada a responsabilidade de desenvolver meios de tornar o ambiente de trabalho adequado para todos. Hoje, procura-se que todos os trabalhadores se conscientizem de seus direitos e deveres e saibam fazer com que tenham valor suas opiniões.

Nesse momento podem compartilhar dessa responsabilidade, pensando criativamente, desenvolvendo habilidades de resolução de problemas, fazendo perguntas e sugerindo melhorias. Esse tipo de ambiente requer que os trabalhadores aumentem de forma constante seu conhecimento.

Não podemos esquecer que vivemos um tempo da história, em que devemos buscar sempre novas alternativas criativas para atingir objetivos. No campo da segurança e saúde do trabalhador, não pode ser diferente.

Muito se comenta sobre as revoluções tecnológicas causadas no mundo do trabalho, a exemplo da robótica e da nanotecnologia, que vem interferindo, direta e indiretamente nos ambientes laborais, nas exigências e mudanças que já refletem na mão de obra atual, entre outras.

Contudo, pouco muda em relação aos impactos relacionados à segurança e saúde do trabalhador e ao meio ambiente. O que é que está sendo feito para evitar ou amenizar os impactos à segurança e saúde do trabalhador?

Sabemos a gravidade e os prejuízos que as doenças e os acidentes de trabalho acarretam para os trabalhadores, suas famílias, empresas e a nossa sociedade.

Melhorar as condições de Segurança e Saúde do Trabalhador, minimizar ou eliminar os riscos de acidentes e doenças nos ambientes de trabalho, tem sido um grande desafio para toda a sociedade e será necessária a adesão de todos os segmentos para se alcançar – de fato – este objetivo.

E, neste momento de turbulências vivido pelo nosso País, onde imperam as incertezas, a escassez de recursos e o medo pelo empreender, sabemos que esta luta constante e árdua torna-se cada vez mais difícil e requer uma vontade política ainda maior em relação a todas as ações já desenvolvidas, que seja capaz de vencer desafios e avançar na direção de um futuro digno para a segurança e saúde dos trabalhadores.

E, para falar em dignidade, sob o ponto e vista da meta para o trabalho decente, é necessário o estabelecimento de um conjunto de fatores, onde, empregadores, governo e trabalhadores têm o seu papel, o seu fazer, em prol das soluções que possam estabelecer – de forma concreta – resultados estruturais para se atingir essa meta.

Vale destacar que, em primeiro lugar, será necessário que incorporemos – enquanto agentes desse trinômio – empregadores, governo e trabalhadores – a cultura da segurança e saúde do trabalhador, não apenas no discurso, mas, no campo da realidade, da compreensão, e do entendimento relacionado à importância que esta cultura predisposta poderá colaborar para a melhoria da qualidade dos ambientes, e da consequente gama de contribuições que trará para as empresas, para os trabalhadores e suas famílias, e para toda a Nação.

Deixe um comentário